Renutra - Consultoria em Nutrição de Vida
1

MATÉRIA


ALIMENTAÇÃO E PRAZER





Matéria inclusa por Márcia Maia Sathler
Alimentação e prazer: será a relação entre essas duas palavras algo fadado ao fracasso nos dias de hoje? A ditadura dos padrões de beleza e a ascensão de um estilo de vida fitness, cheio de promessas e restrições alimentares têm levado muitas pessoas a se esquecerem do valor afetivo presente nos alimentos e no ato de comer. O que já foi um ritual cheio de alegria presente na maioria das famílias de antigamente (talvez nem tão antigamente assim) tem se tornado agora um momento solitário e cheio de culpa.


O livro “Mulheres francesas não engordam”, de Mireille Guiliano, é um bom exemplo dos dois lados da moeda. Francesa, porém residente nos Estados Unidos, Mireille conta a sua própria história dividida entre os bons costumes alimentares da França e a relação conturbada dos norte americanos com a comida. Deixando de lado a sopa de alho porró e focando nos interessantes relatos a respeito dos costumes alimentares franceses, nota-se que, nesse quesito, estamos “imitando” o país errado.


Na França se come, no mínimo, três pratos no almoço. Toma-se vinho diariamente, cozinha-se com manteiga e (pasmem!) a sobremesa nunca é dispensada. Em estudo de um psicólogo americano, Paul Rozin, um questionário que avaliava a atitude em relação à comida foi aplicado a pessoas de diferentes nacionalidades. O resultado é quase óbvio: americanos demonstravam sentimento de culpa diante dos alimentos enquanto os franceses demonstravam prazer. O objetivo era mostrar que essas atitudes podem afetar a saúde. Porém, outra reflexão, não menos importante, é: “por que algo tão primitivo como se alimentar tornou-se tão complicado?”. Pense nisso!


Referências:
1. Mulheres francesas não engordam / Mireille Guiliano ; tradução Marisa Murray. — 1a - ed. — São Paulo : Paralela, 2014.
2. Rozin P, Fischler C, Imada S, Sarubin A, Wrzesniewski A. (1999) Attitudes to food and the role of food in life in the USA, Japan, Flemish Belgium and France: possible implications for the diet-health debate. Appetite, 33, 163-80.


Fonte: gentabrasil.blogspot.com.br/2013/02/em-defesa-do-prazer-de-comer.html
1

 

Inovando Sìtes